Cadeiras-auto para crianças viradas para trás

Porquê as cadeiras para criança viradas para trás proporcionam uma maior segurança às crianças?

As crianças nos seus primeiros anos de vida necessitam da melhor proteção que lhes pode ser proporcionada, especialmente quando viajam num automóvel. Visto que o corpo delas não está completamente desenvolvido elas correm maior risco de ferimentos caso ocorra uma colisão. As proporções dos corpos das crianças são muito diferentes do corpo de um adulto e têm um sistema muscular que está a iniciar a desenvolver-se. Por exemplo, nos primeiros dois anos de vida o tamanho da cabeça de uma criança é aproximadamente um quarto da massa do corpo inteiro enquanto que para um adulto é 1/14th da massa do corpo. Para um bebé é muito mais difícil levantar ou estabilizar a própria cabeça.[1] [2]

No caso de colisões lateral e frontal, uma cadeira voltada para trás fornece a melhor proteção. Isto porque a concha da cadeira fornece proteção às duas áreas mais vulneráveis de um bebé, o pescoço e a cabeça. Num impacto frontal as cargas elevadas são distribuídas em uma larga área das costas da criança. O elevado stress no pescoço e na coluna vertebral assim como uma grande pressão no tórax e na cabeça são reduzidos significativamente quando estão viradas para trás. Nas colisões laterais o bebé também está melhor protegido porque, em muitas situações, há um impacto para frente, provocado quer pela direção do próprio impacto que pela direção de condução do automóvel. A criança fica pressionada na proteção da cadeira virada para trás e contra as paredes laterais.[3] [4]

Além destes fatos, há algumas estatísticas interessantes que evidenciam a importância das cadeiras-auto viradas para trás. As investigações e estatísticas são consistentes – mais de 80% dos impactos num acidente de viação são frontais e laterais. Estes dois tipos de colisão também são muito perigosos e sem as devidas medidas de segurança, incluindo uma cadeira robusta montada corretamente, podem resultar provavelmente em ferimentos graves. [3] [5] [6]

Foram dadas provas dos benefícios dos sistemas de restrição para crianças, até aos 4 anos, nas cadeiras viradas para trás, em comparação com os sistemas de restrição virados para frente, através de testes de colisão assim como de dados do mundo real. [4]

Por exemplo, os testes de colisão para informação do consumidor efetuados pela Stiftung Warentest documentam pelo menos o dobro da força de tensão na parte superior do pescoço nas posições viradas para frente comparadas com as viradas para trás. Comparações recentes das cadeiras-auto para crianças com sistemas de restrição de ponta mostraram uma força de tensão na parte superior do pescoço superior a mais de seis vezes nas cadeiras viradas para frente.[7]

A comparação entre a Suécia e Alemanha de passageiros de 0-4 anos fatalmente feridos mostram muito menos mortes na Suécia onde as cadeiras viradas para trás são muito mais comuns. Este estudo demonstra que as cadeiras-auto viradas para trás são 5 vezes mais seguras do que aquelas viradas para frente. (Veja figuras)

Source 4

Importantes pediatras, cientistas, Folksam maior companhia de seguros Sueca, organizações de saúde tipo a Academia Americana de Pediatras (AAP), organizações de avaliação dos consumidores e clubes automobilísticos na Europa (ÖAMTC, TCS, ADAC) recomendam de manter as crianças nas cadeiras-auto para crianças voltadas para trás para além dos 15 meses.

Durante quanto tempo devo manter o meu filho na posição virada para trás?

As cadeiras-auto da Swandoo estão certificadas sob os mais recentes regulamentos ECE R129, em que é obrigatório manter a o seu filho virado para trás até aos 15 meses. Os seus produtos permitem-lhe manter a sua criança pequena virada para trás no carro para além dos 15 meses para uma segurança ótima.

Nós recomendamos manter a sua criança pelo período mais longo possível nas cadeiras viradas para trás desde que haja espaço suficiente. No entanto, se os pais decidem pôr a sua criança numa cadeira virada para frente – o nosso grupo convertível (cadeira Marie 0/1) possui 360 capacidades de rotação e também oferece um elevado degrau de proteção para a sua criança na posição virada para frente.

As cadeiras-auto viradas para trás também protegem numa colisão da traseira?

Não recebemos informações de nenhum caso sério. Em geral, as cadeiras-auto viradas para trás fornecem menos proteção numa colisão traseira, em que são geradas as mesmas forças duma colisão frontal, em relação às cadeiras viradas para frente numa colisão traseira. No entanto, estatísticas sobre colisões mostram que colisões traseiras sérias são, de fato, muito raras. Menos de 10% das colisões são embates traseiros. Além disso é muito menos provável que resultem em ferimentos graves. Nós realizamos testes de colisão traseiros nas nossas cadeiras viradas para trás. Os valores de stress medidos nestes testes são baixos. [3] [8]

O meu filho tem espaço suficiente para as pernas? É seguro pôr o meu filho virado para trás quando as pernas dele são muito compridas?

Para as crianças mais crescidas (3-4 anos de idade) pode parecer que elas não têm espaço suficiente para as pernas, mas elas ainda são muito flexíveis e podem sentar-se confortavelmente com as pernas cruzadas ou dobradas. Elas também podem pôr as próprias pernas na barra antirretorno.

O objetivo da cadeira é proteger as partes essenciais do corpo, que incluem a cabeça, o pescoço, o tórax e os órgãos internos. Pode parecer que as pernas e os braços estão menos protegidos quando virados para trás, mas as estatísticas mostram que os membros estão melhor protegidos especialmente nas situações de embate frontal.

É difícil montar a minha cadeira-auto virada para trás?

Os produtos da Swandoo foram concebidos de maneira a tornar a montagem o mais fácil e intuitivo possível.

Com as nossas bases de instalação, o sistema torna-se plug-and-pay e os indicadores verde/vermelho fazem com que seja quase impossível montar incorretamente a sua cadeira.

Também aconselhamos uma verificação da sua montagem da cadeira por um inspetor qualificado para garantir que tudo se encaixe bem e esteja corretamente montado.

Como posso controlar o meu filho enquanto conduzo?

Se estiver a conduzir sozinho com o seu filho pode pôr a cadeira perto de si na sua configuração virada para trás, mas recorde-se de desativar o airbag da cadeira da frente.

Para viagens mais longas, a recomendação é ter alguém perto do seu filho na parte de trás. Faça uma pausa, pois que a criança não deveria ficar na cadeira por mais de 2 horas de cada vez. Isto também causa menos distrações ao motorista e faz com que seja mais fácil manter os olhos centrados na estrada.

Referências

[1] Paine, Griffith, Brown, Case and Johnstone, “”The australian experience”, Report, Paper 193,” 18. ESV Nagoya, 2003.

[2] D. Huelke, G. Mackay, A. Morris and M. Bradford, “Car Crashes and NOn-Head Impact Cervical Spine Injuries in Infant and Children,” SAE Paper 920562, 1992.

[3] S. Weber, “Optimierung von Kinderschutzsystemen im PKW,” BAST – Bericht der Bundesanstalt für Straßenwesen, vol. Heft F 67, 2007.

[4] L. Jakobsson, “Rearward Facing Child Seats – Past, Present and Future,” in Protection of Children in Cars, Munich, 2017.

[5] A. Carlsson, J. Strandroth, K. Bohman, I. Stockman, M. Svensson, J. Wenäll, M. Gummesson, T. Turbell and L. Jakobsson, “Review of Child Car Occupant Fatalities in Sweden during Six decades,” in IRCOBI COnference 2013, 2013.

[6] P. Lesire, H. Johannsen, G. Müller, A. Longton, A. Kirk, R. Krishnakumar and M.-C. Chevalier, “Safety benefits of the new ECE regulation for the homologation of CRS – an estimation by the CASPER consortium,” in Protection of Children in Cars, 2011.

[7] L. Jakobsson, T. Broberg and K. Andre, “Compact Child Seat – a concept designed around the users,” in Protection of Children in Cars, Munich, 2013.

[8] T. Deter and G. Lutter, “Development of a new Side Impact Component Test Facility,” in 1st European MADYMO Users Meeting, 1996.